Imagens mostram advogada sendo agredida pelo marido antes de morrer

Nas imagens, Tatiane começa a ser agredida ainda dentro do carro do casal, estacionado na entrada do prédio onde moravam


Imagens do circuito interno do prédio ondem moravam a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos, e o marido dela Luis Felipe Manvailer mostram as agressões sofridas por ela antes de sua morte. Ela caiu do quarto andar de um prédio no último dia 22 de julho, no município de Guarapuava, no Paraná, Sul do País. O marido da advogada é o principal suspeito pelo crime. As imagens foram divulgadas pelo G1 na tarde desta sexta-feira e, depois, obtidas pelo GLOBO.

Nas imagens, Tatiane começa a ser agredida ainda dentro do carro do casal, estacionado na entrada do prédio onde moravam. E os dois seguem de carro para a garagem. Lá, a advogada é agarrada e chega levar tapas e chutes.
Em seguida, Tatiane corre em direção ao elevador, e Manvailer vai atrás dela. No interior do elevador, a segura pelos braços. Em outro momento, a advogada ainda tenta sair, mas é arrastada novamente para o interior do elevador. Quando as portas se fecham, o marido joga a advogada no chão.
Em seguida, os dois saem do elevador. Minutos depois, outra câmera flagra o momento em que Tatiane cai da janela do apartamento no quarto andar. Manvailer aparece depois arrastando o corpo da advogada para dentro do elevador. Com a roupa manchada de sangue, ele aparece nervoso, colocando as mãos na cabeça em frente espelho do elevador. Ele, então, carrega a advogada até o apartamento.
Em outro trecho, Manvailer aparece com outra camisa e entra novamente no elevador. Ele é flagrado limpando as marcas de sangue que haviam ficado no local. Depois, vai até a garagem do edifício, entra no carro e foge.
A polícia foi chamada por vizinhos, que teriam ouvido os gritos. Os agentes chegaram ao local após o marido da advogada já ter saído. O Ministério Público do Paraná informou, na tarde desta sexta-feira, que analisa o inquérito policial e tem até a próxima segunda-feira para apresentar a denúncia.
No mesmo dia da morte da advogada, Manvailer foi preso após sofrer um acidente na BR-277. Ele foi localizado após abandonar seu carro na altura da cidade de São Miguel de Iguaçu, a 340 quilômetros da cidade em que o crime aconteceu.

Posted by Redação Online on 11:32:00. Filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0

MAIS VISTAS

2018 Jornal Itaberaba. Whatsapp (75) 9 9163-7609. - by Agencia Itaberaba .